quinta-feira, 24 de setembro de 2015

O que vem de baixo (baixíssimo, bem baixo mesmo, naipe: pintor[a] de rodapé) não me atinge! ;)

                    É um tanto quanto estranho (pra não dizer bizarro) o quanto se completam algumas pessoas. O jeito de falar, a altura, as músicas que gostam, os filmes e também a IGNORÂNCIA, a BURRICE etc ruins. Eu odeio cara que se acha um "tapa na cara da sociedade", sabe? Cara que ouve aqui, fala ali e sai se achando o gênio. E eu odeio menina que acha bonito isso, que ama o cara não pelo que ele é, mas sim pelo que ele representa (ou aparenta representar, ex.: ele é burro, mas é "bonitinho" e "fala bonito", então as "menininhas" o querem). Acho que a menina que fica se perfazendo, merece mais tomar no cu. (E mesmo se completando não dão certos, pois muitas vezes são dois bostas).
                     Tenho muito medo de parecer alguém que apenas quer bater, não sou assim, mas algumas circunstâncias me obrigam a agir assim: criticando.
                     Mas, é como costumo citar: "Mais vale o meu corpo vira latas mais forte do que muito homem de pedigree, mais vale o como de cachaça pago de maneira decente" (O Rappa - Mitologia Gerimum). Não deveria interessar fama, dinheiro ou beleza para escolher alguém, mas é assim e assim será, cabe à quem discorda aceitar (e correr atrás pra ser assim) ou sofrer as consequências.
                     Mas o que quero deixar claro é que o que vem de baixo (bota baixo nisso rs, bem baixinho mesmo perto de mim) já me atingiu muito, hoje me atinge bem menos e em breve não atingirá. E eu odeio gente de mentira. Seja louco, seja retardado, seja feio, seja tudo de ruim, mas seja você mesmo, jamais o que as pessoas querem que você seja, jamais o que você acha que seria bom por alguma coisa. Beijo na bunda e até segunda!

Nenhum comentário:

Postar um comentário